Proteção Coletiva do DDH: A publicação pública conjunta está agora disponível!

a proteção coletiva do direito à terra e ao território – desenvolvimentos conceituais e desafios metodológicos.

Protection International, em colaboração com o PAS, seu parceiro colombiano, lança uma publicação inovadora que explora abordagens mais amplas para a proteção dos defensores dos direitos humanos, em particular, aqueles que defendem o direito à terra e do território.

Acesse a publicação completa em espanhol no final da página.

Você também pode consultar a publicação em inglês A continuação.

Por que esta pesquisa?

em pelo menos três elementos motivaram o pensamento social e a ação (PAS) e a Proteção Internacional (PI) para realizar uma investigação sobre as medidas de proteção coletiva para defensores de direitos humanos (DDH), organizações íons da sociedade civil (CSO) e comunidades que lutam pelo direito à terra e ao território:

  1. O alto nível de risco enfrentado pelos defensores dos direitos humanos, CSO e comunidades, especialmente aqueles que vivem e operam Em áreas rurais remotas.
  2. Desde 2015, a questão da proteção coletiva é objeto de crescente interesse entre jurisprudência colombiana e entre a comunidade de direitos humanos.
  3. a necessidade de expandir o foco na proteção dos defensores dos direitos humanos além do programa de proteção implementado pelo governo, que demonstrou fortes limites sobre a resposta aos riscos que enfrentam defensores de direitos humanos.

Esta pesquisa visa explorar uma abordagem mais global, que reflete o espírito da Declaração das Nações Unidas sobre os defensores dos direitos humanos, para a proteção das organizações de DDH e da sociedade civil, particularmente aquelas que trabalham em áreas rurais remotas e estão ligados à defesa da terra e do território.

É sobre como entender que a proteção coletiva corresponde a dois tipos específicos de assuntos sociais:

  • organizações básicas formalmente constituídas
  • comunidades que se organizam para defender seu direito à terra e o território.

Contexto da Proteção Colectiv A na Colômbia

Ações de proteção coletiva promovidas pelo Estado colombiano responde ao conflito armado interno e o deslocamento forçado da população rural. O conceito de proteção coletiva na Colômbia surgiu e evoluiu de acordo com as diferentes situações vivenciadas pelo Estado, comunidades, atores internacionais e agências internacionais de cooperação.

Este relatório apresenta as diferentes respostas à proteção que incorporam uma dimensão coletiva e explica como essa dimensão evoluiu ao longo do tempo.

Entre o final dos anos oitenta e final dos anos noventa, a noção de “coletivo” estava se referindo a um grande grupo de indivíduos que compartilhavam um dos mais cruéis violações dos direitos humanos: deslocamento interno forçado.

O número de pessoas deslocadas internamente na Colômbia foi estimada em 2 milhões entre 1985 e 1999; As estimativas mais recentes colocam o número por cerca de 7 milhões.

Resumo das conclusões do relatório

Como indicado na versão completa deste relatório, políticas públicas nacionais de proteção das comunidades rurais e O CSOs que defendem o direito à terra e ao território não devem limitar sua resposta de proteção coletiva a uma lista fechada de medidas padrão. A proteção dos sujeitos coletivos requer uma resposta complexa em que diferentes autoridades estaduais em diferentes níveis (do governo nacional para o local) contribuem para criar e garantir um espaço seguro para a defesa dos direitos humanos. Estratégias e medidas para prevenir e combater a agressão dependem de avaliações de risco exaustivas que levam em conta as dimensões territorial, social e pessoal; Sendo o contexto, ameaças e riscos dinâmicos, que requer avaliações regulares.

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *